terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Entre para nosso time em 2016!

Se você está afim de vivenciar novas experiências, conhecer novas metodologias, técnicas e práticas para o trabalho com grupos, comunidades e empoderamento de pessoas, enfim, conhecer mais da prática social e comunitária? 

Então, te convidamos a fazer parte da equipe técnica do Social Brasilis em 2016, topas?

Nossa equipe trabalha em regime de voluntariado, com reuniões mensais, aos sábados, com datas previamente agendadas priorizando a flexibilidade de tempo e trabalho/estudo dos envolvidos.
Para fazer parte, basta preencher uma ficha de inscrição para que possamos te conhecer melhor e participar da primeira formação geral a ser realizada no mês de fevereiro com data a ser divulgada. Uma ótima opção para quem está na universidade precisa de horas de atividades extracuriculares, extensão e afins. Possibilitamos declarações de participação e certificados de participação em nossos cursos. Nossos cursos, formações e treinamentos giram em torno do trabalho com conteúdos educacionais que priorizem a educadora empreendedora levando o participante a ser autor da própria história. Por isso, você vai está em contato com o mundo dos jogos cooperativos, danças circulares, mídias sociais, conteúdos educacionais, empreendedorismo social, dinâmicas de grupo e etc. O tempo mínimo de permanencia no projeto como voluntário são de seis meses, podendo ser revogado dependendo das necessidades do participante. Lembramos que também ofertamos a possibilidade da participação à distância para pessoas que não estejam em Fortaleza-Ce, mais informações ver ficha de inscrição.

O Social Brasilis é projeto que atua no empoderamento de pessoas através da educação empreendedora e tecnológica para dois públicos-alvo: os líderes comunitários em comunidades e demais beneficiários, escolas, fundações e empresas.


 
Ficou interessad@? Então acessa nossa ficha clicando aqui  e se inscreva até dia 01/02/2016.


Para dúvidas e informações escreva para contato@socialbrasilis.com


Gratidão

o desenrolar dos nossos dias somos bombardeados por más informações: violência, roubo, crise, desemprego, abandono, fome, terrorismo, desastres ambientais que mais são desastres “humanais” – o homem versus a natureza, calada, pacífica, que cansada da mansidão explode, transborda, enche (no sentido mais amplo do verbo encher), e se converte contra o homem causando mais dor e perdas. Basta acessar seu e-mail, ligar a TV, acessar o Facebook: as ditas notícias estão lá! Não que seja ruim o fato de ficarmos informados, ruim é o excesso. Ruim é a falta de equilíbrio, entre o bom e o mau, o correto e o incorreto. Estamos cheios de casos aí de pessoas fazendo o bem, de seres humanos que recomeçam contra as intempéries da vida, enfrentam o desemprego abrindo um negócio com menos de R$200,00. Em comunidades, algumas dominadas pelo tráfico, lá estão eles, os líderes comunitários tentando e tentando incentivar a educação, a escola, a saúde, o esporte. Um garoto ganho para o esporte, menos um no tráfico, menos um na lista da juventude exterminada nos grandes e médios centros urbanos. Você deve estar se perguntando o porquê dessas palavras, desse blablabla que ouvimos e vemos tanto. Por que vim aqui para dizer GRATIDÃO!



  Gratidão a você que com pouco ou muito contribui com os outros, que se emocionam ao ouvir histórias, que ainda acreditam nas pessoas. Para você que acorda todos os dias e sorri, mesmo quando o trabalho, não é aquele do seu sonho, mas é um trabalho, quando as contas apertam, as dores do corpo chegam, quando está no segundo ou terceiro ônibus de ida ao trabalho e ele tá lotado, apertado, quente e você ainda paga por isso, mas mesmo assim, faz acontecer, acredita no outro e o apoia da sua forma, do jeito que dar e pode. A palavra é gratidão pois em todos os lugares do mundo, está cheio de gente assim e se eu pedir para você marcar alguém que se encaixa nesse perfil aqui por mim citado, vai lembrar o nome de um amigo/amiga. Gratidão ao mundo, por que ele ainda não está perdido, escondido estão os rostos “dos de bem”, que com pouco, fazem muito, os da perseverança, os cidadãos que um dia passaram pela minha vida sem nem me conhecer e deixaram ali seu apoio, aqueles que a mídia não mostra ou mostra pouco para compensar, pra não dizer que não falei das flores, entende? E ainda coloca no povo o estigma de quem só busca desgraça, só dar ibope para aquilo que é ruim, ouvi isso de um jornalista, mas será? Ou talvez de tão sem opção estarmos, fomos acostumados aos traumas? Eu quero são os bons, vida e não só morte, mais amor e menos terror, mais sentimento em equilíbrio com a dor. Gratidão a todos aqueles que fazem acontecer e que me motivaram a vir aqui escrever para aqueles que não, não morremos para a vida e nem se deixaram entregar, a vocês minha infinita GRATIDÃO!

Texto escrito em homenagem ao leitores da plataforma Cientista Que Virou Mãe - por nos ter ajudado em nosso crowdfunding para passagens para ir ao Social Good Lab em agosto/2015.

Texto publicado no Site Cientista Que Virou Mãe clique aqui

Manú Oliveira

Os 10 passos para vivenciar uma jornada empreendedora


Acompanhar o avanço da era tecnológica é apenas um detalhe que preenche a vida de um empreendedor/empreendedora e se você escolheu ser um empreendedor(a) social sua jornada é muitas vezes desafiante. Esse é o meu caso.

Empreender é ter uma ideia, desenvolvê-la e estar disposto a desapegar dela a qualquer momento para reaprimora-la, molda-la continuamente ao mercado em constante mutação e avanços.  É não parar de se atualizar, é fazer um emaranhado de coisas ao mesmo tempo e aí, entra a questão de tentar conciliar tudo em uma rotina alucinante, pois em fase de desenvolvimento de sua ideia, você pode vir a conciliar um ou dois trabalhos simultâneos, ir de um canto ao outro, pegar trânsito, sol, chuva. A jornada é árdua. Fazemos tudo isso que você leu acima, empreendendo, e ainda mais, existe a responsabilidade de quem tem a casa para dar aquela cuidada, filhos, enfim, a família. Trabalhar fora, trabalhar em casa, trabalhar no desenvolvimento de seu empreendimento, ser mãe/pai, companheira(o), ativista, empresária(o), profissional, enfim, ser multante.

Nessa rotina de vida tem-se a impressão que se deve conciliar tudo, tem que ter VOCÊ para tudo e para todos.  Aí você percebe que o corpo responde a todas a essas demandas e se não ficar alerta iniciam as dores musculares intensas, as dores de cabeça, quedas de pressão, etc.
Isso é o estresse extremo pelo envolvimento intenso com o que os outros dizem, pensam, fazem sobre você. É a tentativa de ter que atingir todos os setores: implementar minha ideia, estudar, trabalhar fora, organizar a casa, cuidar e dar atenção a tod@s, me exercitar, viajar, dirigir, afins. Passei por tudo isso, então PAREI, refleti e aprendi muito a respeito disso e compartilho os passos que descobri/desenhei para mim mesma: 

Os 10 passos para uma boa jornada empreendedora:

1- Pense em você primeiro. Se não tiver você não haverá projetos, trabalhos, casa e etc. Molde sua jornada para que você esteja bem. Abra tempo para uma caminhada, exercícios, leitura, músicas, enfim, coisas que aprecia.

2- Você não tem que agradar a tod@s! Quem estiver com você de verdade estará até o fim, seja você e não mude seus valores.

3- Você não tem bola de cristal. Você não deve saber tudo ou tentar adivinhar as coisas. Muit@s pensarão que você tem esse dom.

4- Dê e faça seu melhor. Independente do que digam e pensem. Se todas as atividades agendadas não foram cumpridas, mas houve imprevistos, reflita se você fez seu possível e em caso afirmativo, relaxe.

5- Não carregue pesos que não são seus. Quando você está a frente de algum empreendimento social ou projeto as pessoas projetam em você seus problemas, e as vezes, até te culpam por isso, não deixe, leve apenas seus pesos, mas oriente essas pessoas para soltarem os seus e voaram rumo às realizações.

6- Tudo tem seu tempo. Quando fazemos muitas coisas ao mesmo tempo a ansiedade pode nos atacar, querendo que adiantemos as coisas que estão por fazer. Uma coisa de cada vez e a seu tempo.

7- Desacelere. Ritmo intenso por longos períodos não faz bem.

8- Organize seu dia, organize sua semana.  Saiba todos os momentos, seus compromissos, momentos para você, para família. Lembre-se tudo tem seu tempo. Uma dica é o bullet journal - um caderninho/agenda que tenha a sua cara e que você possa listar todas as atividades que pretende fazer na semana e depois em cada dia e ao término de cada período você checar o que conseguiu fazer/cumprir. 

9- Organize seu espaço de trabalho. Crie um home office aconchegante e confortável, valorize as cores alegres que atraem coisas boas, crie e deixe seu mural de metas à vista.

10- Trabalhe duro. Você perceberá que seguindo seu próprio caminho, você trabalhará melhor e vai seguir rumo à realização de seus sonhos/ideias/projetos da melhor forma, saudável e possível.

Esses são pontos que aprendi em minha jornada pessoal e que cada um pode descobrir os seus e construir seu próprio caminho e jornada rumo à realização.

Se algum estiver faltando em sua opinião, deixe sua sugestão! ;)
#Avante





Manú Oliveira, é fundadora do Social Brasilis - Graduada em Letras, Especialista em Gestão de Projetos, ativista e empreendedora social,possui 19 anos de experiência em movimentos sociais.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...