quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

O Final de uma jornada empreendedora - O Social Good Lab

Merece um post para falar que chegamos até a semifinal do Lab, merece um post para contar o que foram esses quatro meses intensos, vivências e aprendizados que esse laboratório nos proporcionou.

Primeiro, passar por diversas peneiras foi uma honra, pois, mais de 400 inscrições, muitas histórias foram contadas. Ficamos entre os 275 e cumprimos o desafio da primeira montagem de nosso mapa de stakeholders e chegamos aos 50 selecionados. 50 histórias, 50 ideias, 50 pessoas que carregavam com elas outras tantas, o que dava aquela sensação de que o mundo ainda vive, há chances de mudança, o bem está entre nós.


 

Foi uma verdadeira maratona. Do aprendizado ao cumprimeito de desafios para avançar para a fase seguinte. Do design thinking até a teoria de mudança, medologias novas no mercado para impulsionar nossos negócios sociais para gerar impacto através da tecnologia. Construir protótipos, MVP's, entrevistas, ir pra rua literalmente, aprender a falar tua ideia em 01, 03, 05 minutos de forma clara, concisa e com todas as informações necessárias. Apresentar a ideia, uma, duas, três, quantas vezes forem necessárias, afinal, empreender é mostrar pro mundo e assim subimos ao palco, fomos pra frente, mostramos a cara no Demoday, para um público grande no auditório do Sebrae catarinense para uma banca com avaliadores. Tremendo, fomos os primeiros das  apresentações semifinalistas. Frio na barriga e ao mesmo tempo alívio de poder assistir aos outros mais de trinta pitches "de boa", já havia passado os 8 minutos mais eternos que alguém pode ter ideia.



L
 
Saiu os seis finalistas indo da educação infantil, passando pela escola, pela saúde, pela urbanização até o empoderamento de mulheres, demais essa sincronia, heim? Esses mostrariam para o mundo, literalmente, sua ideia que, após Lab, não mais era apenas ideia mas já um projeto consiso de ser explanado em 5min para quem quer que fosse.

Neste Lab não teve vencendores, existiram três grandes representantes da massa das 50 ideias que por lá passaram, levados ao palco pela Cientista que virou mãe, primeira colocada, Letras de Médico segunda colocada e Praças em terceiro.

Entre mentorias, networks, aprendizados, saímos dispostos a prototipar a vida e pivota-la se preciso. Saímos conectados, mais fortes da superação de cada etapa, cada ida a Floripa, cada driple para conciliar vida e sonho, fortes por continuar acreditando e por isso, diferentes, corajosos, inquietos, sem foco, mas cheios de conhecimentos que serão compartilhados pelo mundo a partir de agora, isso não é vencer? É mais que isso, que venha a vida, que nós agora vamos prototipa-la do jeito que a sonhamos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...