quinta-feira, 31 de março de 2016

Desenvolvendo um projeto de impacto para o empoderamento social, ambiental e econômico.


Colaboração e cooperação social

       Já dizia Schumpeter, considerado pai do empreendedorismo, que ter a percepção sobre as coisas e explorar da melhor forma as oportunidades com o mínimo de recursos possível é ser empreendedor. É com esse pensamento que qualquer ideia deve ser executada. Se você tem um projeto ou uma ideia que busca promover o desenvolvimento de pessoas através do empreendedorismo, objetivando o empoderamento dos beneficiados, precisa seguir alguns passos para alcance do sucesso, lembrando que não existe fórmula mágica para o sucesso, existem experiências que ajudam o próximo:

Identificação de uma oportunidade – busque identificar necessidades em comunidades da região visando o desenvolvimento sustentável em busca do progresso econômico, social e ambiental da comunidade.

Abordagem e confiança da comunidade – nessa etapa será o momento de conhecer a comunidade que será beneficiada. E você se questiona será se as pessoas irão ouvir a proposta? Como abordar a comunidade e transmitir o objetivo da visita? Bom, esteja sempre preparado. Defenda sua ideia, apresente os benefícios. Busque contatos de lideranças locais para conversar e conhecer mais o perfil da comunidade e apresentar a proposta. Será necessário, outras visitas para aproximação e ganhar confiança da comunidade.

Planejar e estudar - como você está conhecendo a comunidade, de início se tinha hipóteses, o planejamento depois da aprovação é extremamente importante, ele que você deverá seguir para organização, direcionamento adequados e controle dos processos do projeto. Nele deverá abordar todas as ações para o sucesso do projeto, desde capacitações, divulgação, a mensuração do impacto, captação de recurso, e sempre estudar novos métodos de execução visando uma melhor qualidade de vida.

Lembre-se a comunidade deve se sentir/fazer parte do projeto, assim, o progresso pode se torar mais rápido.
Fernanda na colaboração ambiental na região do Cariri cearense






Fernanda Barbosa, é administradora, criadora da hashtag #CompartilhaCariri - instagram @compartilhacariri, natural de Juazeiro do Norte-CE, apaixonada por empreendedorismo e negócios sociais. Adora aprender e a está vinculada a causas sociais, principalmente comunitárias. Faz parte do Time Enactus Leão Sampaio e é colaboradora do Social Brasilis.

quinta-feira, 24 de março de 2016

O Poder do Sim!




A palavra sim tem um poder inimaginável. Ela nos da a autonomia de escolher o que queremos para nossa vida. Ela abre portas, traz novas experiências, novos amigos, novos horizontes. Por outro lado, deve-se ser cuidadoso com o seu uso. Não a use exageradamente, saiba utilizar. Na hora de aceitar algum projeto, algum pedido, entrar em uma nova experiência, faça alguns questionamentos: Tenho tempo livre? Irei me desenvolver pessoalmente e profissionalmente com essa atividade? Ela está atrelada aos meus objetivos e metas?
            No ano passado fui convidado para participar de uma gincana que tinha como objetivo arrecadar alimentos, roupas e brinquedos para uma ação social e aceitei. E que experiência! Fiz coisas que nunca tinha feito, fiz novas amizades, conheci outras realidades, muito gratificante! Literalmente saí da zona de conforto. Agora, no Social Brasilis, tenho uma nova oportunidade de me desenvolver e explorar novas habilidades e competências. Eu sempre tento dar o meu melhor no que faço e isso faz com que eu consiga explorar meus limites.

SEMPRE DÊ O SEU MELHOR NAQUILO QUE FOR FAZER. É AI QUE AS COISAS ACONTECEM.


Em um mundo no qual as pessoas querem abraçar tudo, mas não conseguem fazer nada com qualidade, quem estiver focado estará no caminho do sucesso. Há uma diferença tênue entre oportunidade e distração que apenas será percebida por aqueles que têm objetivos bem definidos.  Seja seletivo, mas não durma no ponto. Tenha em mente exatamente aonde você quer chegar. Certamente você terá que dar muitos “nãos”, mas eles serão necessários para que você possa dizer sim para aquilo que realmente importa.



Ramon Suassuna, é administrador, natural da cidade de Assaré-CE, é um ávido estudante, sonhador na busca da realização profissional e pessoal. É um apaixonado pelo mundo social e é colaborador do Social Brasilis.

segunda-feira, 21 de março de 2016

SEGREDOS DO EMPREENDEDORISMO

Os segredos do empreendedorismo podem ser descobertos por qualquer pessoa. Abrir um negócio é uma tarefa complexa, principalmente diante da situação sócio-politico-econômica que vivenciamos. Instabilidade econômica e politica são fatores de preocupação entre os empresários, que dirá então entre aqueles que almejam tornar-se um. O medo de não ter o retorno desejado torna-se um fator desencorajador na hora de empreender.
Contudo, é exatamente diante das dificuldades que o verdadeiro empreendedor se destaca. Empreender é justamente ter essa capacidade de transformar problemas em soluções. É ser capaz de trazer coisas positivas em meio às dificuldades. Ser um empreendedor é ser capaz de identificar um problema e, diante dele, propor uma solução economicamente viável (ora, vivemos no capitalismo!), seja ela em forma de produto ou serviço.
Essa “visão empreendedora” é o fator determinante do sucesso de muitos empresários. Ora, todo empresário de sucesso precisa ter um bom empreendedor por perto (quando ele próprio não é!). Que fique claro aqui que ser empresário é diferente de ser empreendedor.

“O empresário é aquele que possui um ótimo conhecimento em técnicas de administração como planejamento e controle financeiro, marketing, vendas e gestão de pessoas.”
(Millor Machado).

 Ser empreendedor é ser capaz de inovar (do latim innovatio, refere-se à ideia, método ou objeto diferente de padrões anteriores), de fazer diferente. E quando digo: “fazer diferente”, não precisa ser nada grandioso. O simples ato de oferecer um copinho de café a um cliente já é um ato empreendedor, que pode te destacar dentro da empresa.
Na verdade, a questão torna-se complexa porque a maioria das pessoas tem na cabeça que pra empreender precisa ter uma ideia magnifica, estupenda, colossal, nunca antes imaginada e que vá mudar inteiramente a rotina de milhões de pessoas no mundo. É claro que isso seria o ápice, mas não é um fator determinante.
Para empreender, não precisa ter uma empresa, nem ser rico, ou ser um gênio.
Para começar a empreender basta ter coragem, um pouco de perspicácia (boa capacidade de compreensão ou observação), e força de vontade.
Você pode ser empreendedor no seu emprego. Pode ser um empreendedor na sua casa. Pode ser empreendedor enquanto espera o ônibus ou metrô. Pode ser empreendedor enquanto estuda o teorema de Pitágoras (pense no clipe de papel, no marcador de texto...), enquanto conta o dinheiro para pagar as contas no final do mês (pense na liga, na fita durex...) ou enquanto manda um sms (pense no Whatsapp, no Telegram...). Boas ideias surgem de necessidades, sejam elas pequenas ou grandes.
Quais dificuldades você tem no seu dia-a-dia? De que maneira uma tarefa pode se tornar mais fácil, ou menos complexa? O que pode melhorar? São questões simples, mas que podem te transformar no empreendedor de amanhã (quem sabe até no empresário!).

Tenha a certeza de que aquilo que é solução para você é também solução para vários outros.

Texto Por: ADW

terça-feira, 15 de março de 2016

I Open Space do Social Brasilis: A educação digital no contexto social.

No último dia 05/03/2016 nos reunimos, em formato de espaço aberto, para debater, escutar opiniões, críticas, sugestões, sobre o ponto de vista de lideranças comunitárias, nosso público-alvo n°01, sobre o que achavam da educação digital no contexto social.

Qual seria a opinião desses líderes e agentes sociais para vivenciar um processo educacional mesclando educação empreendedora e tecnologia? O que eles pensam a respeito? Como se enxergam nesse contexto?

As respostas foram animadoras! O público comunitário não se esquiva das mudanças que a tecnologia vem trazendo para a sociedade, ao contrário, querem vivenciar essas mudanças na prática, querem dispor das facilidades que o bom uso das tecnologias podem trazer para o dia-a-dia na vida pessoal e no trabalho.

Segue alguns relatos de quem faz acontecer na sociedade:
                                                           



"A Educação à distância é ótima, pois me permite continuar trabalhando, o que essencial para mim sem ter que abandonar meus estudos."
(Amanda, voluntária em uma Escola Comunitária em Fortaleza-CE).


 "A educação através da tecnologia possibilita acesso a quem não dispõe de muito tempo, facilita a formação e trabalha vários recursos cognitivos da aprendizagem."
(Zuingla Christian, gestora de uma Escola Comunitária).







Ficamos felizes pelas visões apresentadas e seguimos em busca de mais opiniões, sugestões e pontos de vida para democratizar o ensino da educação empreendedora e social em todo o país.


Nosso próximo Open Space será no mês de abril, fiquem ligad@s!



Agora é com você!
Deixe sua opinião e relato a respeito sobre a tecnologia na educação e na vida das pessoas nos comentários desse post, o que você pensa a respeito dessa inclusão digital?

Aguardamos suas considerações!

segunda-feira, 14 de março de 2016

A Escrita Criativa - Compartilhando experiências em rede.

  Jovens de todo o Brasil se tornaram nossos colaboradores a distância para aprender e executar a "Escrita Criativa"- arte da escrita para plataformas e redes digitais. Eles compartilharam conosco textos e experiências reais vivenciados por eles em campo, explicando, de forma dinâmica e interativa, levando o leitor a vivenciar através da imaginação aquilo que ler através de seus textos. Essa é a escrita criativa, essa arte, em voga nesse momento de impulso das mídias digitais, para encantar e trazer mais pessoas ao propósito de vida, empreendedorismo, setor social e marketing digital principalmente, sendo elo e canal, através desse tipo de linguagem e comunicação para as pessoas através da rede.

 Nossos colaboradores possuem formações variadas, engajados ou não no setor social ou educacional mas que já viveram experiências incríveis e que desejam compartilha-las.



A Fernanda Barbosa, é administradora, criadora do #CompartilhaCariri, natural de Juazeiro do Norte-CE, apaixonada por empreendedorismo e negócios sociais. Adora aprender e a está vinculada a causas sociais, principalmente comunitárias. Faz parte do Time Enactus Leão Sampaio e é colaboradora do Social Brasilis. Seu primeiro texto gira em torno da sua jornada pessoal no mundo do empreendedorismo social e comunitário, confira.




O Ramon Suassuna, é administrador, natural da cidade de Assaré-CE, é um ávido estudante, sonhador na busca da realização profissional e pessoal. É um apaixonado pelo mundo social e é colaborador do Social Brasilis. Seu texto traz a construção do caminho em busca da realização pessoal, confira.



A Vanessa Cavalcante, é professora de Língua Portuguesa, natural do Piauí, diretora de Recursos Humanos da Enactus CESTI-UEMA, professora de cursos Profissionalizantes na Empresa Brasil Profissionalizado, à frente da Empresa Bazar das Meninas e é colaboradora do Social Brasilis. Seu texto traz o relato da experiência com mulheres quebradeiras de coco-babaçu no interior do Maranhão, confira



A jornada pela democratização do saber e novas experiências através da rede tem apenas começado. Vamos contribuir para mais pessoas encantadas e motivadas a construir a mudança. Avante!




Manú Oliveira, é natural de Quixadá-CE, Graduada em Letras, Especialista em Gestão de Projetos sociais e educacionais, ativista e empreendedora social, é TED Talk, possui 18 anos de experiência dentro dos movimentos sociais e está à frente do Social Brasilis organização social de formação e educação empreendedora.

domingo, 6 de março de 2016

Empreender é Dar Vida aos Sonhos - As Mulheres quebradeiras de Coco-Babaçu no interior do Maranhão

Empreender é dar vida aos sonhos, transformar a teoria em prática e voluntariar não muda muito o sentido quando você tem em mente um mundo melhor. Atualmente, o mundo gira em torno do capitalismo, este que não deve ser considerado um “bicho-papão” pela sociedade, até porque ele é o que move o mundo, transforma as pessoas e motiva-as para ter uma vida melhor.

O empreendedorismo é uma atividade que cresce cada dia mais, e no nordeste cresce sem freios. Muitos fatores influenciam para que tal região regenere–se, e saiba fazer isso utilizando recursos naturais que devem sim ser explorados por seu povo e com freios. Uma triste realidade que acontece não apenas no nordeste, mas em todo o Brasil, sabemos que a diversidade natural é estupenda em todo o território nacional, e muitas empresas internacionais vem e acabam usando o nosso “produto sagrado”. E o brasileiro? Porque ele, simplesmente não usa, cria e cresce? Eis a pergunta!

Podemos observar que o empreendedorismo no Brasil pode ser uma das saídas para que o brasileiro saia da zona de conforto e aprenda a usar o que é seu com racionalidade. Entre as regiões Norte e Nordeste do Brasil, existe o Meio Norte, sub-região localizada nos estados do Piauí e Ceará onde podemos encontrar o Coco-Babaçu que é uma planta que possuí frutos de sementes comestíveis que retirado o óleo é utilizado na culinária, remédios e atualmente em estudos para a produção de biocombustíveis. Mas, o que chama mais a atenção é para quem trabalha no inicio de todo o processo, na retirada do fruto da palmeira e na quebra, as chamadas “ quebradeiras”. As quebradeiras, normalmente são mulheres, residentes da zona rural onde quebram o Babaçu para a retirada das amêndoas para assim ter outros fins. Por exemplo, com a palha é possível fazer a cobertura de casas, objetos como chapéus, bolsas, vassouras, com o tronco é possível até palmito, carvão, sendo este último uma preocupação para com o meio ambiente, pois o processo de produção dele agride o meio.

 




O grande problema está em como a matéria prima transforma-se em produtos e como ele chega no mercado.  Existem sim, projetos que incentivam a produção com o Coco-Babaçu, porém não existe incentivo para as quebradeiras, como por exemplo cursos que a capacitem para uma melhor produção ou mesmo um marketing trabalhado em como esse produto deve chegar com qualidade na mesa do brasileiro e no mercado, ou seja empoderar essas mulheres que muitas vezes estão a mercê, ancoradas em programas do governo.
O Coco-Babaçu



Portanto, busca-se um desenvolvimento sustentável, baseado em um trabalho de extrativismo vegetal consciente dando continuidade a uma cultura, sendo incrementada com tecnologias para o não esquecimento de um recurso natural que pode beneficiar a todos, inclusive aos donos da terra. 



Vanessa Cavalcante, é professora de Língua Portuguesa, natural do Piauí, diretora de Recursos Humanos da Enactus CESTI-UEMA, professora de cursos Profissionalizantes na Empresa Brasil Profissionalizado, à frente da Empresa Bazar das Meninas e é colaboradora do Social Brasilis.

terça-feira, 1 de março de 2016

Ela criou um movimento em prol da valorização do cabelo crespo e cacheado. Eliane Serafim e o Movimento Encrespa Geral

#Valorização

  Muitos ainda não sabem sobre o poder de mobilização que fazem os Movimentos Sociais. Eles surgem para sanar uma causa ou uma problemática social em torno de uma comunidade ou grupo de pessoas que se sentem, de alguma forma, prejudicados pela falta do olhar da sociedade e de políticas públicas para sanar tal problemática. Iniciar um Movimento Social em prol de uma causa, não é assim tão complexo, basta ter olhar crítico e uma galera motivada a fazer a acontecer e sensibilizar para sua causa como a Eliane Serafim e seu Movimento Encrespa Geral para a valorização do cabelo crespo e cacheado da mulher. Acompanhe e saiba mais através desse bate-papo com Eliane a inspiração para iniciar um movimento pela causa no Brasil.


Social Brasilis: Qual sua cidade natal?

Eliane: Rio de Janeiro

Social Brasilis: O que te move no mundo?

Eliane: Fazer as coisas que acredito, com paixão.

Social Brasilis: O que faz seu coração vibrar?

Eliane: A alegria do resultado dos trabalhos. A certeza que podemos fazer alguma coisa para melhorar o mundo a nossa volta.

Social Brasilis: Qual sua frente no trabalho social?

Eliane: Sou empreendedora social no Encrespa Geral.

Social Brasilis: Como o Movimento Encrespa surgiu?

Eliane: Surgiu a 4 anos, eu tinha um grupo no Facebook que falava sobre cuidados dos cabelos. Surgiu a necessidade de sair do virtual, primeiro fizemos encontros no Rio e São Paulo (Projeto Amigas Cacheadas na Estrada), depois passou a ser o Encrespa Geral.

Social Brasilis: Como ele conseguiu conectar várias pessoas e se tornar um movimento nacional?

Eliane: Eu procurei pessoas conhecidas e perguntei se queriam participar, organizando encontros nas cidades  com a mesma estrutura e objetivo. Logo outras pessoas se juntaram ao trabalho por livre iniciativa.

Social Brasilis: O que representa esse avanço para você?

Eliane: Representa a realização de poder levar a ação afirmativa ao mundo. Nossa mensagem é principalmente afirmativa.

Social Brasilis: Quais os resultados que o movimento já alcançou?

Eliane: Tiramos famílias de casa e nos reunimos em diversos pontos do país e exterior com o mesmo objetivo: valorizando da auto-estima, inspiração ao uso do cabelo natural, valorização da saúde. Ter pessoas que comungam do mesmo ideal é o nosso ideal, é o resultado mais lindo que podemos alcançar.

Social Brasilis: O que diria para um(a) jovem que queira iniciar um movimento ou coletivo para alguma causa social e causar um grande impacto?

Eliane: Que tenha amor, acredite na sua mensagem. É o amor que faz com  que as coisas aconteçam.

Social Brasilis: Uma palavra para inspirar?

Eliane: 

Maiores informações: encrespageral@uol.com.br


Eliane Serafim - Criadora do Encrespa Geral

Qual é sua causa social? Crie ações de fomento a ela, seja um empreendedor, empreendedora social!



Manú Oliveira
Fundadora e Dir. executiva Social Brasilis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...