terça-feira, 22 de novembro de 2016

Empoderamento feminino: o empreendedorismo social na mudança da vida de mulheres



  Durante toda a nossa história como sociedade, a luta para esconder as mulheres de seus direitos mais simples é sentida. Por tempos, fomos educadas para cuidar da casa, a aprender a cozinhar e faxinar, isso era sinônimo de virtude e valor. Cuidar da casa e dos filhos, sem ter voz e direitos como os homens eram símbolos das mulheres de nobre estirpe.

  Com o passar do tempo, as mulheres foram reconhecendo seus direitos, seus gostos, suas aptidões e iniciaram a luta por seu direito a estudar, trabalhar e viver como sonhavam. Não foi e ainda não é um caminho fácil. Há ainda quem ganhe menos exercendo o mesmo cargo que um homem, há a falta de respeito de nos acharem frágeis para tomar posições duras ou de comando. Há quem ainda pense que as roupas ou o andar sem uma companhia masculina é sinônimo de culpabilidade das próprias mulheres caso algo de ruim ou alguma violência aconteçam. Nos tempos de avanços tecnológicos, o preconceito nunca esteve tão digital, tão rápido e tão global. Defender o empoderamento feminino é mais que fortalecer as mulheres, é incentivar sonhos, realização, a maternidade, a igualdade, os direitos iguais entre os gêneros. Mas é dizer também que elas podem ser o que quiserem, na hora que quiserem, é dar asas aos seus sonhos, é combater a violência doméstica, física e psicológica, é dizer SIM para quem muito já ouviu não.

 Na contribuição da mudança da sociedade todos nós temos parte, aliás, devemos tomar parte. Sonhar com um mundo de mais igualdade, educação, de paz e união deve ser imperativo a todos, mas é mesmo? Será que estamos, como mulheres, reconhecendo nosso valor para a mudança do mundo?

 Mas tem o fato de nos sentirmos pequenas, amedrontadas em meio a esse caos psicológico e violento que o mundo nos impõe. Porém, eu digo...tudo tem um ponto de partida e comece pensando no que você quer mudar na sua vida HOJE. O que faz seu coração vibrar? Qual seu sonho? Pense nessas perguntas e mentalize suas respostas, as escreva em algum lugar visível, não as esqueça e comece a agir.

 Comece na sala de sua casa. Em frente a um computador, busque um curso em seu bairro ou pela internet/web. Inicie uma atividade física, caminhe, dance, cante. Esteja alinhada com seu espiritual e viva. O processo de transformação social começa quando alguém se reconhece, descobri seus sonhos e se coloca à caminho, mesmo que devagar, rumo à realização.

 Na verdade, não será fácil. Haverá momentos de desanimo, de dor e de falta de apoio. Esse último estará sempre presente, pois ainda estamos em uma sociedade que o não apoio vem daqueles que querem crescer e não o fazem e querem tirar de você essa chance, que não ousam mudar, uma inveja social é formada a partir disso, não se deixe enganar, simplesmente, caminhe e não olhe para trás.

 Muitas mulheres já trilharam esse caminho e ainda estão à caminhar, trabalhando pela mudança da sociedade e me considero uma delas. Essas mulheres influenciam a educação, a escola, o esporte e  a música. Elas encontraram seu sonho e o vivem intensamente. Elas são mães, esposas, esportistas, jovens, profissionais, empreendedoras sociais, enfim elas são tudo que querem ser. Compartilho com vocês um pouco sobre cada uma delas e o que as fizeram mudar e transformar vidas:

Empreendendo no Esporte

Daiany França - Fortaleza/CE
Iniciei o Instituto Esporte Mais em 2014, quando comecei a trabalhar com a cooperação alemã/GIZ, no projeto futebol para o desenvolvimento. Eu tinha um contrato de tempo pré-determinado, que se encerraria naquele mesmo ano, mas eu estava tão envolvida e apaixonada pelo projeto, e as suas inúmeras possibilidades, que junto com outros 5 amigos, que também estavam no projeto, fundamos o IEMais, com o objetivo, a princípio, de dar continuidade ao trabalho que havia sido iniciado pela GIZ. Eu acumulava iniciativas empreendedoras desde 2005, mas queria fazer desse novo negócio, o projeto mais bem-sucedido da minha vida! Atualmente atuamos em duas frentes: empoderamento feminino através do esporte e capacitação de educadores, professores e profissionais sobre como ensinar o esporte visando uma formação integral, justa e para toda a vida.
Mas, claro, a caminhada nunca é simples! Em menos de 1 ano, 4 amigos, dos 5 que iniciaram comigo, deixaram o projeto. Todavia, outras pessoas chegaram para somar e multiplicar. Com a nova equipe, realinharmos propósitos, abrimos nosso pequenino escritório (antes era na minha casa) e fomos aproveitando as oportunidades que foram surgindo (Rede Esporte pela Mudança Social-REMS, parceria com a Ação Educativa e com o PRODHE-CEPEUSP, ambos de SP, rápidos intercâmbios na Argentina e Moçambique, etc.), até que hoje conseguimos nos enxergar e compreender nosso papel social com muito mais clareza. Porém, ainda estamos em processo de amadurecimento, uma vez que estamos apenas no segundo ano de vida. Em todas as vezes que pensei em desistir, porque me sentia cansada e/ou sozinha, eu me perguntava qual era o motivo de todo aquele esforço. Algumas dessas vezes compartilhava um pouco dos dissabores com pessoas próximas, até que uma me disse: “você não pode desistir, outras pessoas estão observando você, elas precisam do seu exemplo e da sua força”. E eu passei a acreditar nisso, que as pessoas, de certa forma, precisam da minha energia e da minha capacidade de sonhar e realizar. Nossa sociedade precisa de bons exemplos, em especial nossas mulheres e jovens.

 Conheça a iniciativa: https://www.facebook.com/institutoesportemais/?fref=ts



Empreendendo na Educação

Cinthia Rodriguês - São Paulo/SP
O fato de eu ter me tornado mãe (2012) me fez ser empreendedora. Sempre tive muitas ideias criativas, mas elas não resultavam no duro processo que leva a teoria à prática e foi justamente a busca de flexibilidade para estar com meus filhos e um mundo melhor que me trouxe a força de vontade para levar ideias adiante.

Eu comecei o Quero na Escola porque percebi como jornalista de educação e mãe de alunos da rede pública que as pessoas até participariam da educação pública se tivessem um "papel" a cumprir, mas geralmente o convite à participação nas escolas é genérico demais e aí dá pouco resultado.


Então, eu tinha uma ideia inicial diferente e, no processo de criar personas e soluções, chegamos ao Quero na Escola durante o Social Good Brasil Lab. O Quero na Escola é um canal para o aluno dizer o que mais quer aprender além do currículo escolar e a comunidade saber onde pode participar da educação e na escola em geral.

Conheça a iniciativa: www.queronaescola.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/queronaescolaapp/?fref=ts



Empreendendo na Arte


Beatriz Fiuza - Fortaleza/CE
Bom, posso dizer que empreender é poder viver o que se acredita. É alinhar pensamento e prática. Criar o instituto foi um impulso, então não posso dizer que foi um ato de coragem ou que teve qualquer grandeza. Mas com o passar dos anos, com o crescimento e o aumento da complexidade das nossas ações, com o aprofundamento sobre o que estávamos construindo e sobre o reflexo que o trabalho estava tendo na vida das pessoas, fomos todos crescendo e ficando mais integrados com tudo ao nosso redor. O trabalho foi se misturando com minha própria história, hoje eu já não posso dizer que existe uma linha que separa minha vida pessoal e minha vida profissional, e acredito que manter esta coerência e alinhamento entre tudo o que faço é o que deixa tudo tão real. Tão vivo! E faz cada dia valer mais à pena. Também, realizar um trabalho que envolve crianças e jovens, e que envolve tantas pessoas que acreditam no potencial criativo desta juventude, é uma inspiração diária. Tenho o privilégio de passar meus dias ao lado de colaboradores extremamente implicados com nossa missão, e de me relacionar através de diferentes redes com outros empreendedores e profissionais que levantam a bandeira da justiça social e da sustentabilidade. Acreditamos todos que é possível, um passo após o outro, construir um mundo em que todos possam ter acesso a uma vida plena e rica em possibilidade. As dores são poucas diante das alegrias. E os sorrisos que recebemos dos alunos e das famílias atendidas diariamente, não têm preço. 

Conheça a iniciativa: www.iblf.org.br/ 

Facebook: https://www.facebook.com/InstitutoBeatrizeLauroFiuza/?fref=ts
 O nosso desejo é que você se inspire nessas histórias e decida mudar. Comece AGORA!
Inicie com aquele exercício simples, respondendo as perguntas e guardando suas respostas:
- O que você quer mudar na sua vida hoje?
- O que faz seu coração vibrar? 
- Qual é seu sonho? 

Manú Oliveira
Fundadora Social Brasilis





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...