terça-feira, 29 de agosto de 2017

Documentário Rotinas - luz, câmaras e transformAÇÃO!

#EuSouProtagonista

  O audiovisual sempre foi uma forma de expressão, de mostrar para o mundo um jeito de pensar e de ver o mundo através dos olhos e da vida de diferentes agentes. Uma história de vida é sempre contada, um contexto social desvendado e posto à mostra para a apreciação e conhecimento através das imagens e lentes daqueles que dirigem e interpretam suas funções para que o produto final, o filme, conte a melhor das tramas - histórias reais, histórias de vida que inspiram.

  Assim, o coletivo Tentalize, grupo de jovens da periferia de Fortaleza-CE, que produzem e estão à frente do documentário Rotinas contando a vida do ponto de vista dos ambulantes do bairro do Jangurussu - periferia da capital cearense- exibindo histórias diárias de quem ver a vida de forma diferente. O bairro tem uma economia local fortalecida pela feira semanal, que acontece todo sábado e se pode encontrar de tudo, desde roupas à utensílios domésticos. Os jovens tentaram justamente retratar o perfil e a voz desses participantes da economia local, suas impressões e visões de futuro e, assim, mostrar sua comunidade para outros contextos e lugares.

Ambulantes do bairro Jangurussu
 Contemplados pelo VI edital Ação Jovem da Rede Cuca (instituto da Prefeitura Municipal de Fortaleza para a juventude) e assessorados pelo Social Brasilis em 2017, durante o mês de julho/2017 eles circularam pelo bairro, captando cenas, imagens, entrevistas e depoimentos dos seus personagens favoritos, pessoas comuns, pessoas reais que todos os dias lutam para fazer sua vida acontecer nas periferias do nosso país.

"A rotina se repete ao longo da semana. Dona Leonora prepara cedo o caldo, a canja, o mungunzá e, com o sol ainda forte, arruma tudo com muito zelo na sua barraca.
É difícil não perceber a "Tia do Caldo", como é conhecida, sempre sorridente atendendo os clientes, jogando conversa fora, andando para lá e para cá, quando não está sentada apenas observando o movimento.
Ela é mais uma das milhares de mulheres que não desiste fácil de um desafio, põe seu melhor sorriso e sua touca e recebe com muita simpatia quem chega para provar o delicioso caldo.

Dona Leonora é uma dos três vendedores ambulantes que acompanhamos ao longo de dois meses. Ela conta um pouco desse processo no documentário Rotinas. - relata os jovens do coletivo em sua Fanpage no Facebook Tentalize.

 Quantas dona Leonoras existem nesse Brasil que acordam cedo e saem para trabalhar dignamente nos centros e periferias desse imenso país? Quantas você encontra na sua rotina de vida? Já quis saber que histórias possuem? Que expectativas e visões de mundo defendem? Onde vivem e quais são as suas lutas? 
As protagonistas Dona Leonora e Dona Quinha assistindo a própria história
Making off das gravações do coletivo

  Em cada esquina de nossas ruas há histórias esperando para serem contadas e talvez muitas não serão sequer descobertas. Que tal contribuir para contar a história de alguém? Mostrar uma versão de algo ou alguém para o mundo? Mãos à obra, mostre e divulgue histórias de vida, faça de pessoas comuns protagonistas de seu filme e assim elas serão protagonistas de sua própria vida, por que protagonismo não é só para ator ou atriz principal de uma grande produção, é quem assume o papel da sua vida e faz dela a narrativa mais bonita a ser contada. 

Falô? Conheça aí nossa Campanha #EuSouProtagonista 2017 e descubra o verdadeiro sentido da palavra protagonista.


Protagonistas SIM
Social Brasilis

domingo, 20 de agosto de 2017

Exposição Pura Pele - o universo LGBT na transformação social!

#EuSouProtagonista

 A frase "pura pele" nos remete a muitas interpretações e contextualizações. Quando falamos de afirmação, diversidade e sexualidade nos leva a interpretação de quem realmente somos, de quem somos no mundo, nossos ideais e posições sociais. Qual é a sua pele? Cor, gênero, posição, ideias, visões?

 O mundo desde sempre vive uma crise de valores sociais. O mundo do individualismo, preconceito e rótulos que insistimos em colocar nas pessoas. O lado positivo disso é que não podemos generalizar tudo e que nesse universo há espaço para a conscientização, para as pessoas que se mostram sem julgamentos, que divulgam sua essência através da arte e do seu jeito de ser no mundo, ou seja, sendo resistência e mostrando, através de seu exemplo, que somos SIM um espaço de diversidade e que chato seria se fossemos todos iguais.

via GIPHY

 Contemplados no VI edital Ação Jovem da Rede Cuca (instituto pertencente a Prefeitura Municipal de Fortaleza para a juventude), a exposição Pura pele é organizada por um coletivo de jovens da periferia de Fortaleza-CE para defesa dos direitos e luta contra o preconceito LGBT, no tocante as performaces e apresentações artística do universo travestir da capital cearense.

Conscientizar - trechos da exposição Pura Pele! Foto: Nicoly Mota

 O intuito do grupo é mostrar a arte de performar, representar personagens, ser um viés de cor e brilho por onde passar, encenar e se colocar na pele da figura idealizada. Esse é o verdadeiro universo travestir...por um dia, por uma hora ou momento ser o que você quiser, se transformar nas nuances que você admira, fazer seu show, cantar e dançar da forma que quiser, enfim, ser livre. O desafio é tentar passar essa sensação de liberdade e olhar artístico com sensibilidade para o público que esteve presente no dia da exposição, 05 de agosto de 2017, no Cuca Jangurussu - localizado no bairro de mesmo nome na periferia de Fortaleza-CE.

Encenação no Festival Pura Pele - Cuca Jangurussu - Foto: Nicoly Mota
   Teve arte, teve brilho, teve performaces, teve discussão, conscientização sobre preconceito, luta por direitos e apresentações sobre a temática. Um espaço diverso para falar sobre representatividade e participação ativa do público jovem na defesa da causa.

  Seja qual for sua causa, você pode fazer acontecer. Junte sua turma, forme uma coletivo e promova um evento de sensibilização, convide alguém de referencia no assunto para conduzir uma roda de conversa ou palestra em sua escola, universidade ou instituição social. Faça acontecer e se represente e divulgue suas ações na rede com a hashtag #EuSouProtagonista e participe da nossa campanha 2017 #EuSouprotagonista e estimule ações da juventude - clique aqui e saiba mais. Brilhe!

via GIPHY


Por mais brilho no mundo,
Social Brasilis


sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Brotando vidas, brotando sonhos!

#EuSouProtagonista

  Em plena era da informação e do avanço tecnológico os cuidados com a natureza e o meio-ambiente devem ser priorizados. Não é de hoje que sabemos que o mundo pede socorro. O aquecimento global e a falta de políticas públicas para o desenvolvimento sustentável do planeta ainda são emergentes. A população sofre esse caos ambiental todos os dias: ondas de calor intenso, tempestades, acúmulo do lixo, falta de saneamento básico, poluição e deficiência no reaproveitando do plástico e de diversos outros materiais que prejudicam o meio.

  Ser eco, ser verde, ser sustentável é necessidade e não modismo. Pensando nisso, jovens do bairro Jangurussu, periferia de Fortaleza-CE, idealizaram o projeto Brotando vidas que por meio de rodas de conversa e o estímulo ao fomento de farmácias vivas na comunidade incentivam e contribuem com o meio-ambiente e sua conservação. Veja abaixo o conceito sobre farmácias vivas:

"O termo farmácia viva refere-se a um conjunto de plantas medicinais que são indicadas para o tratamento das doenças e sintomas mais comuns e de menor gravidade, como gripes, resfriados, problemas estomacais e dor de cabeça. Cada família conhece pelo menos uma receita caseira. E essas sempre utilizam plantas medicinais. Passaram de geração a geração e têm sobrevivido ao tempo e ao crescimento da medicina alopática e dos remédios sintéticos." (Fonte: http://www.portalagropecuario.com.br/plantas-medicinais/farmacia-viva/)


  Idealizado pelo jovem  Tiago Victor, o grupo busca conscientizar a população sobre o uso saudável da medicina natural para prevenção de doenças e nutrição humana, além de conscientizar sobre a conservação do meio, importância do saneamento básico e cuidados com o lixo para a saúde e para a preservação do meio ambiente. 

Ações na comunidade - Foto: Mapurunga Jr.

 O projeto foi contemplado pelo VI edital Ação Jovem da Rede CUCA (instituto pertecente a Prefeitura Municipal de Fortaleza para a juventude) e esse ano contou com assessoria técnica do Social Brasilis, o grupo percebe na educação ambiental um elo para o desenvolvimento econômico e social de comunidades, sendo desassociável do processo educacional comunitário.

"Eu sonho em ver as comunidades tendo pelo menos o mínimo. Elas não sabem o que é saneamento. Sonho com pessoas lutando por seus direitos." 
(Tiago Victor em depoimento para o Diário do Nordeste - jornal local)

  A educação ambiental e o desenvolvimento sustentável no planeta é um processo educacional, que envolve conscientização, família e escola. O meio ambiente preservado é uma questão de saúde pública e social. Quanto mais conscientes estivermos, mais preservado estará o meio para as gerações futuras. Esses jovens sonham com um mundo que possa ser também desfrutado por seus filhos e netos. Sonham que seus familiares no futuro desfrutando também do melhor que a natureza nos dar diariamente. Sonham com um planeta mais verde, mais sustentável.
Galera da Rede Cuca participando da ações do projeto - Foto: Mapurunga Jr.

 Que ações você está fazendo que possam contribuir com o meio ambiente? Você considera o lugar que você estuda/vive ou trabalha está de acordo com preservação do meio? O que você sabe sobre farmácias vivas, hortas ou coleta seletiva do lixo? 

 Que tal promover ações que conscientizem sobre esses pontos em sua comunidade ou escola? Construa uma horta vertical com garrafas PET, estude sobre plantas medicinais e monte sua farmácia viva, elabore um plano simples de coleta seletiva do lixo  e faça acontecer! Essas são apenas algumas ideias, a natureza tem muito o que ser estudada. Divulgue suas ações nas redes sociais usando a hashtag #EuSouProtagonista e faça parte da nossa campanha 2017 - incentivando mais ações sociais pelo país, clique aqui e saiba mais.


Por um mundo mais verde,
Social Brasilis


quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Fotografia e a linguagem da transformação!

#EuSouProtagonista

  Novos olhares, novas nuances, múltiplas capturas...essa é a fotografia e a sua linguagem, através de imagens, tenta transmitir a seus observadores múltiplas visões de mundo. Falar nesta linguagem é ir por um caminho amplo de interpretações. O que o artista, fotógrafo, quer transmitir através de seu olhar e visão,o que enxerga através da sua própria visão de mundo é sua própria interpretação da vida para ser exposta para outras tantas interpretações segundo o olhar e a vida daqueles que a observam. Assim, temos uma explosão de conceitos, interpretações e situações ricas para o debate e para a transformação.

  Quando falamos de contextos sociais, falamos de sua gente, de cultura, cotidiano, histórias de vida que são congeladas e capturadas pela lente de uma câmara. Como essa arte é usada para ser um objeto de transformação social e impactar positivamente a vida de pessoas?

Foto: Léo Silva
  Léo Silva, jovem fotógrafo e empreendedor social cearense, tem a resposta a essa pergunta...através do VI edital Ação Jovem da Rede CUCA (equipamento da Prefeitura de Fortaleza para a juventude) e assessorados em 2017 por nós do Social Brasilis, Léo percorreu as ruas e ruelas do seu bairro, o Jangurussu, localizado na periferia de Fortaleza-CE, para retratar através dos rostos e situações de seus moradores suas histórias e seu cotidiano. Ao retratar, ele não queria apenas mostrar expressões de um lado da capital cearense que poucos conhecem ou enxergam, queria mostrar sua visão de mundo, crítica e social que o cerca. 

  Isso não é apenas dar voz, mas singulariza e torna único uma comunidade, povo, pessoa...é uma manifestação artística do que vivemos diariamente em nosso lugar, em nosso próprio mundo seja ele em cores ou em preto e branco. Olhe a seu redor...o que você retrataria que representa a essência que você quer levar ao mundo? Que possíveis interpretações seu olhar traria? O que é possível debater através da sua imagem/foto? Que alertas ela faz ao mundo?


Foto: Léo Silva

Foto: Léo Silva

 Se você conseguiu pensar e responder a algumas dessas perguntas, você conseguiu enxergar a transformação que a linguagem da fotografia pode trazer e quando isso vem de um jovem, torna-se ainda mais ampla e impactante.

  Esse é a transformação deixada pela exposição Simples Cidade de Léo Silva através de cada imagem capturada por suas lentes em toda a comunidade e que agora estampam os corredores do CUCA Jangurussu em formato de mostra de arte fotográfica. Obras em preto e branco que são coloridas por sua essência e desejo de mudança, transmitem cultura e história de um povo e um lugar.

Foto: Léo Silva - Exposição CUCA Jangurussu
  Pense em como a fotografia pode ser um canal para a transformação social no lugar que você mora, estuda ou trabalha. O que se pode mostrar para o mundo sobre seu contexto/cotidiano? O que a tecnologia e mídias digitais podem ajudar nessa ação? 

 Pense, responda e aja! Leve protagonismo para múltiplas pessoas através de suas imagens...ensine outras pessoas a também se expressarem por imagens e capturar expressões que levem a debates sociais e conduzam ao caminho da transformação. Junte sua turma e com as câmaras fotográficas ou de celular deixe cada um falar através de imagens, você pode criar até uma hashtag para divulgar suas imagens na rede/web.

 Seja um protagonista, compartilhe suas ações e imagens conosco, participe da nossa campanha #EuSouProtagonista 2017 - incentive atividades transformadoras.


Por mais clicks do bem,
Social Brasilis

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

O audiovisual e a transformação da juventude!

#EuSouProtagonista

  O cinema é uma grande tela de projeção de história. Desde sua invenção em 1985 quando os irmãos Lumieré realizaram a primeira exibição até os dias atuais o cinema com sua linguagem e obras foram responsáveis por impactar a sociedade através da construção de narrativas que tornavam o impossível ser obras de entretenimento como, também, ser representações históricas e construção de personagens dando ao espectador o privilégio de enxerga-se como parte de um todo.  O coletivo Entre Olhos, usa dessa possibilidade para aproximar a 7º arte das periferias. Usando o cinema como instrumento de representatividade e dando aos moradores da região da Barra do Ceará, bairro da zona oeste da capital cearense, a oportunidade de apresentar suas histórias e personagens.

  O coletivo desenvolveu o projeto MILC: Mostra itinerante Livre de Cinema – Perspectivas periféricas, projeto que foi apoiado pelo VI Edital Ação jovem da Prefeitura de Fortaleza e rede CUCA, equipamento municipal para a juventude, e contou com assessoria do Social Brasilis. O projeto pretende promover empoderamento da juventude e a democratização da produção audiovisual, através de oficinas de formação e produção como percursos cinematográficos de exibição de curtas produzidos por realizadores independentes oriundos de periferias em quatro pontos da comunidade. 

Mostra dos curtas para o público em plena orla da praia da Barra do Ceará.
 Durante a realização eles executaram uma “oficina de produção de vídeo” para crianças e adolescentes dos 9 aos 14 anos do  Instituto  Lourdes Viana. Na oficina os jovens puderam aprender técnicas de criação e produção audiovisual  além de serem estimulados a pensar como o contextualizar e apresentar obras que apresentem  o seu cotidiano e sua visão de mundo.

Erick de Sousa, jovem idealizador do projeto em uma das ações.

  Para o percurso cinematográfico na comunidade, foi aberta uma chamada pública para que realizadores de outras comunidades pudessem enviar o seu material para ser exibido, com 26 obras inscritas e após uma curadoria coletiva, eles fecharam a programação  de filmes e os  locais que receberam as sessões de cinema periférico que foram nos dias 16, 27 e 28 /07 na praça Santiago, dias 02 e 03/07 eles ocorram na comunidade das goiabeiras na Vila do mar e Sessão final ocorreu dia 04/05 na Sede do Instituto Lourdes Viana como apresentação de filmes produzidos na oficina e com  a palestra do professor Henrique dídimo e exibição do curta “O Marco Vivo da Ybura”.

  O audiovisual como ferramenta de transformação social para combater as dores da comunidade da Barra do Ceará é uma de  muitas maneiras que os jovens estão usando para despertar suas habilidades, competências e sonhos para criar ações, projetos e inciativas para promover o impacto social positivo.
Mais uma mostra itinerante pela comunidade!


Conheça nossa campanha #EuSouProtagonista e fique por dentro de mais exemplos pelo Brasil.

Transmita sua arte,
Social Brasilis

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Dengai Geek Fest - Feito por jovens para jovens!

#EuSouProtagonista

  A cultura Geek, o mundo nerd são febres no universo jovem, aliás, não só para jovens, mas para outras faixas etárias também, inclusive, os adultos que navegam no mundo dos animes, games e personagens de produções e animações nipônicas.

  Isso é a cultura Geek...se você gosta de games, personagens de desenhos, produções e animações, principalmente japonesas, gosta das características e ações de algum personagem presente nesse universo, você sabe bem do que estamos falando. Nesse intuito, vários eventos pelo país congregam esse mundo, reunindo e debatendo as últimas novidades do meio, sendo um espaço para se caracterizar e mostrar o fascínio que é esse universo. 

Mesa redonda - Diversidade no mundo Geek
  Esse meio nem sempre é acessível para todos os públicos. As fantasias e produções de Cosplay podem custar muito para alguns bolsos e as vezes se tornam uma alternativa de renda extra para alguns que competem pelas melhores notas após suas performances em eventos. Confira o conceito do termo abaixo:

 um termo em inglês, formado pela junção das palavras costume (fantasia) e roleplay (brincadeira ou interpretação). É considerado um hobby onde os participantes se fantasiam de personagens fictícios da cultura pop japonesa." - (Fonte: www.significados.com.br)

  Para tornar essa cultura e mundo Geek acessível para todos os públicos, um grupo de jovens, também fascinados por esse universo, criou o Dengai Geek Fest - um festival 100% gratuito para jovens de periferia amantes Geek, uma forma de inclusão, partilha e visibilidade dessa cultura para todos os públicos. Distribuídos em espaços temáticos, com mesas redondas, palestras, feiras de games, sala de jogos e concurso de cosplay, o Dengai ganha seu espaço no rol de produções de eventos no Estado do Ceará. Com uma equipe organizada e comprometida eles fazem acontecer, buscam parceiros, patrocinadores, imprensa e mídia para levar essa grande ação para todos os públicos. Quem não deseja associar seu nome e sua marca a um evento desses? Feito por jovens, com mega estrutura, gratuito e reunindo várias tribos nas periferias da cidade?

 Em sua última edição, Agosto/2017, o evento agitou o CUCA Mondubim - (equipamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza para a juventude) - apoiados pelo VI edital Ação Jovem e assessorados por nós do Social Brasilis em 2017, o grupo de organizadores quadruplicou o recurso do prêmio e lotou o espaço em um evento para mais de 1000 jovens.

"Cosplays agradecem a todos que fazem parte do Dengai, evento pequeno, mas que tem tudo pra crescer, muito organizado, organizadores atenciosos, público maravilhoso, gostei muito." - participante do evento em relato deixado na Fanpage oficial do projeto no Facebook.

we love it!!!!! :-)

 Seguindo o exemplo dessa turma, se você observa algo que possa ser mudado, que possa fazer a diferença na vida de um público ou comunidade, assim como o pessoal do Dengai visibilizou no custo alto para eventos Geek no Brasil e resolveram sanar essa problemática criando um evento com qualidade e acesso para o público jovem, busque você também organizar sua galera e fazer acontecer. Garantimos que não será fácil, haverá cansaço, porém, a sensação é indescritível no final e você perceberá que o impossível é uma questão de visão e que essa não será a sua. Seja protagonista de suas ações!

Alguns Cosplay que se apresentaram fora da competição oficial

Conheça nossa campanha #EuSouProtagonista 2017 - incentive ações jovem.
Curta a Fanpage do Projeto Dengai no Facebook e confira as fotos oficiais do evento - aqui.


Seja pop, seja Geek!
Social Brasilis

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Festival Inmoda - Juventude na moda!

#EuSouProtagonista

  A moda é expressão. Sua forma de vestir e seu estilo ditam seus pensamentos, visões, no que acredita e almeja em relação ao mundo. Moda também é voz. Dar expressão às pessoas e comunidades, gera renda, sustenta uma cadeia produtiva entre profissionais da arte: artesãs, costureiros, maquiadores, cabeleireiros, modelos e fotógrafos. É um verdadeiro ecossistema de produção e geração de renda e sustentabilidade.

 Nesta perspectiva surge o Festival InModa, criado por uma jovem estudante de publicidade moradora do bairo Jangurussu de Fortaleza-CE, Amanda Paulino, ela acredita que a moda é esse canal de sustentabilidade que pode causar um grande impacto social para sua comunidade e adjacências.

 O Festival é inclusão, é interatividade...é um dia todo voltado para oficinas, bazar, mini-cursos, desfiles que abraçam o universo da moda. Nesta edição, apoiados pelo VI edital Ação Jovem da Rede CUCA (equipamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza para a juventude), o evento traz oficinas de customização de roupas, oficina de maquiagem, fuxico, palestras sobre empreendedorismo na moda e culmina com o desfile das criações.

Bazar do Festival In Moda

  Acreditar no que faz, é sobretudo acreditar na mudança quando fazemos aquilo que acreditamos e e amamos, e isso gera transformação em nós e onde estamos inseridos.

  O evento mobilizou desde crianças do bairro, que se envolveram na oficina de customização logo no início da manhã e assim como toda a comunidade que interagiu com o evento ao longo do dia do sábado 05 de agosto/2017.

Amaanda Paulino, idealizadora do evento, na oficina de customização.

  É possível empreender em todos os setores e áreas de interesse de grupos e contextos sociais. Descubra seu sonho, planeje seus passos e execute suas primeiras ações. Seja protagonista de seus ideiais.

Conheça nossa campanha #EuSouProtagonista - incentive ações da juventude em sua cidade.


Faça acontecer,
Social Brasilis


sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Conexão Sound - produção cultural jovem!

#EuSouProtagonista

 Unidos na expectativa de fazer uma música boa, entreter a galera jovem, mas ao mesmo tempo, formar e orientar para a arte da organização de eventos culturais e artísticos, esse é o Coletivo Radiola. Composto por jovens da periferia de Fortaleza-CE que se uniram, cada um com suas aptidões e expertices no campo da produção cultural, especificamente, da música.

 Durante o VI edital Ação Jovem da Rede CUCA (equipamento da Prefeitura de Fortaleza para a juventude) e assessorados por nós do Social Brasilis, a galera foi a primeira a dar o ponta pé inicial para o início das atividades do edital, organizando suas primeiras ações e atividades, essas giraram em torna da produção cultural, indo desde a teoria à prática instrumental. 

Durante as oficinas do grupo - Cuca Mondumbim - Foto: Coletivo Vitrola

 A iniciativa Conexão Sound ofertou quatro oficinas iniciadas e finalizadas com palestras e pocket shows que agitaram a juventude no Cuca Mondubim durante o mês de julho/2017, o último pocket show contou com a presença de vários músicos que se reversavam nas pick-ups (toca discos) e levaram um som para a galera no encerramento das atividades formativas do projeto.

Galera curtindo um som pocket show - Foto: Coletivo Vitrola

 As metas e objetivos do coletivo são grandes. Eles desejam continuar no meio da produção cultural, priorizando eventos nas periferias dos grandes centros para abranger a juventude local, e quem sabe mais à frente criarem a sua própria produtora cultural.

Tiago, representante do coletivo, com Manú Oliveira do Social Brasilis

  A cultura, a produção artística e a formação da galera jovem nesse campo merece ser valorizada. Não é só entretenimento, é trabalho, é geração de renda para moçada e levar essas iniciativas às periferias é criar um ecossistema de transformação humana e social. Agora, o coletivo busca produzir seu primeiro portfólio, ideia criada em um das nossas oficinas sobre sustentabilidade em projetos durante o acompanhamento do edital, para profissionalizar ainda mais a iniciativa e buscar novos editais, parceiros, formação e patrocínios para continuar levando arte para a comunidade.

 Essa galera da música, do som e por isso mesmo da cultura, é protagonista da sua própria história, da sua música e do seu ritmo...deseja ir além, viver do seu propósito e daquilo que fazem de melhor...música e arte para galera.

Conheça nossa campanha #EuSouProtagonista, estimule o empreendedorismo e protagonismo jovem!

Por mais cultura,
Social Brasilis

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Projeto Arruaça - arte circense para tod@s!!!!

#EuSouProtagonista
  Arte é expressão, arte é canal, arte é educação, arte é resistência! Trabalhar com a arte hoje é mostrar e ser resistente em meio ao segundo plano conferido a mesma, renegando-a ou a substituindo pelos atrativos que o mundo moderno reserva em nossos lares e espaços urbanos.Porém, existem pessoas que resgatam essa arte e nos devolvem em forma de poesias e expressões diversas, o entretenimento sadio e humano às nossas periferias.

  Assim, surgiu o projeto Arruaça - formado por um coletivo de jovens artistas da periferia da capital cearense, eles levam arte circense para as comunidades de Fortaleza-CE.

  Apoiados pelo VI edital Ação Jovem da Rede Cuca (equipamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza para a juventude) e assessorados em 2017 por nós do Social Brasilis, o projeto fez apresentações de rua em quadro praças de comunidades da zona oeste da cidade.

Projeto Arruaça - bairro Jacareganga - Fortaleza-CE

  Durante as apresentações números circenses são mostrados e a comunidade fica atônica ligada em cada detalhe da apresentação. Engana-se quem pensa que os espetáculos organizados por essa trupe jovem fascina somente às crianças dos bairros por onde passam, eles deixam seu maior fascínio é nos adultos, pais e mães, vidrados nas apresentações do coletivo.

  As apresentações do grupo são divididas em três momentos. No primeiro um trio de palhaços faz apresentações vibrantes com malabares, depois uma jovem artista que encena junto a uma trilha de música clássica interagindo e performando com o público e finaliza com apresentação do Mauricio, líder do grupo, misturando arte circense com instrumentos musicais e pirotecnia ( números com fogo).
Maurício durante sua apresentação

  O melhor de tudo é a interação com a comunidade, o grupo recruta e forma um grupo de jovens que são responsáveis pelo monte e desmonte dos cenários e estrutura da trupe, além do sorteio de brindes e cestas básicas para os participantes do evento.

  Preservar nossa memória, incentivar a arte de rua, circense, manual, enfim, todos os tipos de arte, é dar voz para uma multidão. Um povo sem arte ver o mundo por olhos míopes, não é capaz de enxergar o horizonte de possibilidades, da amabilidade, do afeto e propósito naquilo que fazem.


   Incentivar a arte urbana, é dar esse olhar a multidão e isso o Arruaça tem mostrado não só pelos espetáculos que encenam, mas pela suas próprias vidas sendo resistentes em favor da manutenção da arte e da cultura. Ser protagonista é assumir seu propósito no mundo, seus gostos e aptidões...e assim, mostrá-las em forma de espetáculo, encenando o que você faz de melhor, brilhando o mais que puder e assim no meio da multidão novas luzes se acendem e começam, também, a brilhar.

  Conheça nossa campanha #EuSouProtagonista e seja como a galera do Arruaça coloque aquilo que você acredita nas ruas...o mundo inteiro é feito para gente brilhar.


Por mais artistas protagonistas,
Social Brasilis 



terça-feira, 1 de agosto de 2017

"Me poupe do vexame de morrer tão moço" - #Juventude

#EuSouProtagonista

  Me poupe do vexame de morrer tão moço é uma frase emblemática, principalmente quando vinda de jovens. Essa é uma ideia de ação social proposta por jovens do bairro Jardim Iracema zona oeste da capital cearense para discutir o genocídio da juventude contemporânea.

"Foto: projeto Me Poupe do vexame de morrer tão moço"

 Um tema delicado, atual e sério...conversado de jovens para jovens. No Brasil, são altos os índices de assassinatos de jovens, em sua maioria negros e pobres provenientes das periferias do país, motivados por tráfico de drogas, brigas ou que caem nos números causados pela violência urbana como um todo. Precisamos discutir isso, precisamos falar sobre violência urbana, drogas, uso não consciente da internet e da tecnologia. Enfim, precisamos falar sobre a juventude. É justamente isso que esse grupo de jovens cearenses tem feito, falar da sua geração.

"Esperamos que nosso projeto não fale apenas sobre o genocídio da juventude motivada pela questão urbana, mas um pouco mais a frente falar dos jovens que utilizam a tecnologia todos os dias para fins negativos" - diz Kaciane Silva empreendedora social do grupo.

 Apoiados, pela primeira vez, pelo edital Ação Jovem da Rede CUCA (equipamento da Prefeitura Municipal de Fortaleza para a juventude) e assessorados por nós do Social Brasilis, ações foram organizadas para discutir esse tema com a comunidade do bairro Jardim Iracema e debater através da arte possíveis soluções para sensibilizar a moçada sobre o tema.

Peça teatrais, música, rodas de conversas foram organizadas para falar sobre isso de forma culta e atual.

"Foto: projeto Me Poupe do vexame de morrer tão moço"

  A frase que dá nome ao projeto é forte e enigmática "Me poupe do vexame de morrer tão moço" que retrata uma vida que não foi vivida, aproveitada, encurtada por motivos banais. Significa ainda, uma geração que a educação, a cultura e a arte tem sido negadas, sem direito a voz e vez...porém, acompanhar tantas manifestações de juventude de todos os cantos do país tem mostrado à você leitor e leitora o quanto ainda é possível mudar e ser transformação. Esses moços e moças querem discutir e debater arte e consciência coletiva, por isso, são protagonistas de suas vidas e de sua comunidade. Seja você também! Conheça nossa campanha #EuSouProtagonista 2017!


Por mais moços e moças protagonistas,
Social Brasilis


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...